Adjuntos da direção clínica do CHTMAD demitem-se

1158

Os cinco adjuntos que integram a direção clínica do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) apresentaram, esta semana, a sua demissão. O diretor clínico, João Gaspar, mantem-se em funções e revelou que os substitutos já foram encontrados.

Os médicos não revelaram quais os motivos da sua saída da direção clínica, mas João Gaspar afirmou que os profissionais não se reveem no atual modelo organizacional. “Houve uma mudança na organização do CHTMAD e no conselho de administração. Há outra dinâmica e outra estrutura organizacional e foi o não enquadramento com esta nova estrutura organizacional que os levou a pedir a demissão”, revelou.

Os cinco adjuntos de João Gaspar, que se mantêm em funções no Centro Hospitalar, foram convidados pelo próprio para integrar a direção clinica, em março deste ano, mas o diretor clínico afirmou que não se sente “fragilizado”. João Gaspar garantiu ainda que estas demissões “não afetam a qualidade da prestação dos cuidados de saúde”.

No entanto, esta demissão em bloco levou os deputados do Partido Social Democrata (PSD), eleitos pelo círculo eleitoral de Vila Real, a avançar com um pedido de esclarecimentos ao Ministério da Saúde. Os parlamentares afirmam que estas demissões acontecem depois da diretora do Serviço de Anestesiologia também ter apresentado um pedido de demissão do cargo à administração do Centro Hospitalar. João Gaspar confirmou esta situação, mas recusou-se a esclarecer o caso.

O PSD teme que estas demissões possam ser o “reflexo de um crescente mal-estar” no Centro Hospitalar, que resulta da “persistente falta de médicos e de recursos, que tem conduzido a uma degradação funcional e a uma significativa baixa de produtividade clínica”. Os parlamentares social-democratas consideram que as medidas anunciadas, recentemente, não resolveram os problemas do CHTMAD.

Deixe o seu Comentário

Comentário