CPCJ abriu 58 processos desde o início do ano

1238

A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Vila Real (CPCJ) têm uma média de 150 processos por ano, segundo uma análise desde 2013. Mas este ano o aumento está a ser significativo e em apenas 3 meses já deram entrada 58 processos. A problemática com maior número de crianças e jovens sinalizadas está relacionada com absentismo escolar, mas na CPCJ de VR há também casos de violência doméstica, abuso sexual e negligência.

Cento e nove é o número de processos activos na Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Vila Real. A média anual é de cerca de 150 processos mas este ano a estimativa é de que a média vai ser ultrapassada tendo em conta que em apenas 3 meses a CPCJ já tem 58 processos.  “É um acréscimo substancial e são casos graves”, disse João Fontes o presidente da CPCJ de Vila Real.

 

(…)

Em situações de risco a comissão actua de imediato

As comissões de protecção de crianças e jovens visam promover os direitos da criança e do jovem e prevenir ou pôr termo a situações susceptíveis de afectar a sua segurança.

Quando os processos são de natureza grave a comissão actua de imediato e os meios são mobilizados para afastar a criança ou o jovem do risco.

(…)

Leia o artigo completo na edição 567 do Notícias de Vila Real, à venda aqui.
Ou assine a edição impressa ou online aqui.

Deixe o seu Comentário

Comentário