115 locais do Douro vão estar disponíveis em 360º

1235

 

A região do Douro vai estar disponível através de conteúdos de realidade virtual. A Associação dos Empresários Turismos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR) vai fazer o levantamento de 115 locais e experiências da região, como quintas, miradouros, centros históricos ou passeios de barco, e vai disponibilizá-los através da realidade virtual.

“Vamos inventariar, pelo menos, 115 locais para divulgar o território pelo público e pelos operadores turísticos”, explicou o presidente da AETUR, Luís Marques. Esta iniciativa está inserida num projeto “O Douro à volta do mundo – Magellan World”, que pretende promover a região na senda do navegador Fernão Magalhães e tornar o Douro na “primeira região do mundo a ter um levantamento exaustivo em realidade virtual”.

Samuel Tapada, responsável pela área tecnológica do projeto, destacou o “cunho inovador e pioneiro” desta ação que visa “criar, desenvolver e disponibilizar conteúdos de realidade virtual e permitir viajar pelo Douro, através de um smartphone”. “A utilização de óculos de realidade virtual, sincronizados com plataformas como o You Tube, permite que as pessoas possam experienciar de forma aproximada a realidade do Douro”, explicou. Os conteúdos devrão estar disponíveis a partir de outubro, de forma gratuita.

O objetivo do projeto “O Douro à Volta do Mundo – Magellan World” é, segundo Luís Marques, “promover o Douro na senda de Magalhães, divulgando pelo mundo os vinhos, gastronomia, a paisagem, património e a cultura deste território”, classificado pela Unesco em 2001. “Fernão Magalhães foi o primeiro turista global, foi um homem pioneiro e nós queremos aproveitar esse ativo da nossa região que teve uma projeção mundial”, afirmou o presidente da AETUR.

Outra das iniciativas inlcui, entre 17 e 22 de setembro, uma visita de 34 jornalistas estrangeiros que vão experienciar o Douro, conhecer as paisagens e o património, provar os vinhos e a gastronomia. O projeto resulta de uma candidatura ao Programa Norte 2020, no valor de cerca de 790 mil euros, com uma comparticipação comunitária de 671 mil euros, e prolonga-se até dezembro de 2017.

Deixe o seu Comentário

Comentário